segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Eternidade em uma noite


E já que a janela se abriu, eu pedi que todos os medos tivessem o caminho de ida sem volta, ou pedisse carona do vento naquela hora que saia, entrava e engolia a aflição abafada e a felicidade eminente naquela noite de chuva calma e corpos quentes. Eu fiz promessa, eu explodi, e senti ali a eternidade em uma noite, de uma só vez.


Stênio França, 21 de Fevereiro de 2010.

2 comentários:

  1. todas minhas noites resumida em uma. lirismo perfeito, tudo perfeito...
    adorei aqui, estou seguindo. sempre.

    ResponderExcluir